30 junho 2015

O Macaco... :)) Que venham TODOS os Hanumans!

Queridos,

queria compartilhar isso há tempos com vocês... e a hora chegou...

Eu preciso levar uma banana pro meu amigo macaco lá na Oneness. Vamos juntos?

Antes de mais nada, vou deixar claro que essa mensagem não é para motivar vocês a irem pra Oneness. É apenas para dar uma forcinha pro coração de vocês bater mais intensamente aí dentro dessa caixa toráxica e ele faz o resto - vai fazer vocês acreditarem que É POSSÍVEL ir mesmo sem dinheiro. Basta fazer um pouco. Arriscar um pouco também. E confiar.

O Macaco...

Era uma vez uma Narayani no Special Deepening de Dez-2014. Por razões que não pretendo compartilhar aqui, desenvolvi nos últimos anos uma atração especial por macacos, conectada a um amor sobrenatural por Hanuman - o Deus Macaco e por sua vez o mais doce devoto de Sri Rama. (cont.)


Eu, Hanuman, AmmaBhagavan, alguns amigos e Deus sabemos por que essa relação se desenvolveu em mim, que inclui ter visto Hanuman se manifestar no rosto de Kalki no Oneness Temple mais de uma vez. E na Oneness, no Special Deepening de Dezembro, ficou claro que sou plenamente correspondida. E agora tenho que voltar lá com certa frequência para compartilhar meu amor por AmmaBhagavan e meu amigo macaco...






Eu não sei como as coisas estão transcorrendo agora entre os macacos e os rituais no Altar do 1o andar do Oneness Temple - aos pés de Kalki. Mas em Dezembro as coisas ficaram no mínimo divertidas e emocionantes. Um novo hábito se estabeleceu entre um macaco muito educado e persistente, e os Sevaks que trazem o alimento para o Altar na hora do almoço, para oferecer a AmmaBhagavan e Kalki : todos os dias, no horário da oferenda do alimento ao Divino, o macaco também comparecia.

Pontualmente isso acontecia durante a etapa de meditação, na sessão da nossa linda Tejasa ji. Supõe-se que era para a gente meditar, e por isso mesmo o macaco conseguia livre passagem, porque ninguém o via chegar. A não ser os monges sentados perto da porta e nós, tradutores. E como os monges não queriam atrapalhar a meditação dos tradutores, rsrsrs, o macaco conseguia desfilar calmamente entre todos nós e alcançar seu objetivo último: A BANANA!

HAHAHAHAHAHAHA

Um dia eu abri os olhos e muito assustada vi um dos monges armado com um pedaço de ferro que havia sido retirado da grade do altar... Ué, a gente estava meditando lavando nossos karmas no Ganges e eu abro o olho de repente e vejo uma cena tão única kkkk... Mas o monge ria, e não parecia bravo ou amedrontado. E eu não entendia nada... E a música, tão celestial, nada tinha a ver com o imenso macaco que passou correndo diante de mim, carregando uma banana e devidamente espantado pelo monge. Saquei! Após rir, claro, quieta para não tirar os outros tradutores de tão profunda meditação, entendi o que estava havendo. E me diverti muito nos outros dias... com a mesma cena... a mesma tentativa de evitar que o macaco pegasse a banana oferecida a AmmaBhagavan e Kalki... e ele ia tão bonito, vagarosa e elegantemente caminhando até o altar PRINCIPAL, aos pés de Kalki!! roubava a banana, os monges nada podiam fazer porque não queriam despertar da meditação os mais de MIL participantes, hahaha, e o macaco às vezes saía caminhando entre as pessoas!!!

Fecha a porta! Amanhã, todo mundo de porta fechada, plano perfeito! Assim, macaco não entra! Humpf! Mas, sabe como é na Índia, quando tudo está 100% seguro, um imprevisto acontece e eu posso jurar que o macaco também descia pelo teto, tipo Missão Impossível, para pescar a banana aos pés de Kalki. Todo dia ele achava um jeito de entrar. Todos os dias eu ria de me acabar... Ai que macaco abençoado!!! Porque eu poderia jurar que Kalki tinha alguma coisa a ver com aquela situação repetitiva ali aos pés literalmente Dele mesmo...

Um dia... eu não ouvi nenhuma movimentação finalmente. Ou talvez tenha sido o único dia em que eu realmente meditei (kkkk, sem comentários), mas eu não vi nem ouvi nada do macaco... A meditação estava rolando e de repente eu só vi o macaco já de saída- ah, puxa vida, perdi a cena de comédia de hoje - pensei... Mas então, dessa vez, TODOS os tradutores e alguns monges estavam me encarando com os olhos arregalados. E eu com aquela cara : oi? Fiz algo errado? Eu tava meditando, ué...

O Daniel Bellone estava pertinho, e me contou: o macaco havia entrado como sempre. Como sempre passou pela 1a barreira de monjinhas sentadas na porta. Como sempre passou pela 2a barreira de monges sentados na lateral do altar. Como sempre passou pela 3a barreira de tradutores e... parou. Parou diante de Narayani! Ficou ali me encarando, devia estar me namorando. Sentiu que eu gosto muito de Hanuman talvez... E eu estava tão compenetrada que perdi a paquera. Ah se eu tivesse visto... Estaria no céu, porque foi Hanuman que me viu pelos olhos do macaco - e aquela meditação tinha sido tão profunda talvez por isso...

O macaco não só me encarou, mas ficou quietinho sentado diante de mim; e o Dani disse que ele estava tão perto que ninguém ousava fazer um gesto sequer, com medo de ele pular em mim (esses macacos medem sentados a altura do nosso peito, são meio caramelo grisalho, um olhar bem penetrante e engraçados). Aos poucos ele esticou a mão e tentou tocar em mim. Ele queria me tocar!!! Imagina se eu abro o olho nessa hora? kkkkkk o macaco queria falar comigo, e ninguém me chamou... ah puxa vida, que pena...

O Dani contou que a Tejasa ji estava rindo e também surpresa, assim como os tradutores e os outros monges, mas ninguém interferia na declaração de amor - ainda bem Finalmente um dos sevaks tomou uma atitude, e num gestou espantou meu amigo pra longe de mim. Na distração, meu amigo ficou sem a banana. Portanto...

... por ter sido alvo da distração dele, eu sinto que devo uma banana a meu amigo macaco. Preciso ir lá e quero companhia de muitos de vocês.

E tem tanto tempo que estou para compartilhar isso e pedir essa ajuda a vocês...

E hoje AmmaBhagavan nas Câmaras me pediram banana. Vejam só como a coisa flui...

Ok, ofereci banana e maçã ... e chocolate (é meu acordo com eles sempre oferecer chocolate). Ao tirar as frutas do altar (o chocolate ficou porque eu quero que eles comam mesmo, então deixo mais horas até eles pararem a dieta e se convencerem que é pra comer fisicamente o chocolate), ouvi: come a banana.

Eu queria a maçã e disse, 'desculpa Paizinho, mas quero a maçã.' resposta: 'come a banana....'

Tá bem, tá bem... comi a banana. E banana Suíça é imensa e sem graça comparada à do Brasil. Comi. Forçada (fique bem claro). Todinha. Sentei no computador e ouvi: conta agora a estória do macaco...

Amados, estou seguindo ordens, isso deve provocar algum impacto em alguns, senão muitos de vocês. Estou em dívida com meu amigo macaco e quero levar vocês para terem experiências tão únicas quanto essa.

Vamos para o Special Deepening de Agosto? Vocês viram o que nosso Vikram ji falou sobre esse curso. E sobre ser o 1o curso da jornada de 21 anos que temos daqui pra frente com Sri AmmaBhagavan, esse Fenômeno tão maravilhoso que veio para nos curar, nos unir, nos florescer e estabelecer a Era da Unidade em nosso planeta.

Mais informações no Grupo Amma 2015
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

MAIS INFORMAÇÕES DA VIAGEM: http://grupoamma.wix.com/2015 OU grupoamma@naunidade.com.br

PREENCHA O LINK PRÉ- INSCRIÇÃO :  http://goo.gl/ciOGpN (para receber informações atualizadas)

CHEGOU A HORA!!!
Nos adicione em seus FB...de lá podemos conversar mais rapidamente dirimindo suas possíveis dúvidas...
 https://www.facebook.com/carmemvania.dalmoro
 https://www.facebook.com/lizmonica.moreira?fref=ts<~WRD000.jpg> (para cuidar de passagens)

Somos o Grupo Amma/2015 :Bhaskar, Niranjana, Inaiá, Ananda Jay, Liz Mônica, Vânia Dal Moro (Bansuri)

Nenhum comentário: