09 novembro 2015

~ Sobre Contribuições e Postura...um ato de carinhoso 'despertar' da responsabilidade de cada um ~

Querida Família, Queridos Amigos,

Peço a compreensão e a contemplação de cada um de vocês sobre esse tema.

Tenho uma clareza crescente de que para ajudar é importante estarmos 1o firmes sobre nossos pés, e que não tenho o direito de dar trabalhos gratuitos ou cobrar menos do que o que eu preciso / ou do que o trabalho merece.

Ao fazermos isso, sempre terminamos no mesmo lugar: o do prejuízo e da necessidade de pedir ajuda - o que gera desgaste, auto-depreciação e toda sorte de conflitos.

Se temos uma visão clara e posicionamento firme quanto ao que queremos receber (mais do que dar), vamos saber caminhar adequadamente e esclarecer o valor do que estamos oferecendo, alinhando postura dos participantes para que valorizem os trabalhos oferecidos. 

(continua...)

Então estendo esse convite à contemplação de todos...

Se nos posicionamos claramente sobre o que queremos, as coisas fluem facilmente; e é importante ajudar a todos quanto possível. Mas principalmente é importante ajudar as pessoas a entenderem o valor do que estamos oferecendo. Um trabalho que, no caso da Oneness University, vale lembrar, não foi criado por nós.

Por favor leiam a seguir, é sobre o valor cobrado nas sessões de Deeksha que conduzo.

E entendam que se não estão recebendo conforme gostariam, talvez tenha faltado clareza (integridade interior, auto-conhecimento) e posicionamento. Isso vale para dinheiro, relações de todos os tipos, atividades, desafios, crescimento, orações... Todos os aspectos da vida!

Gratidão & Carinho a todos
Narayani

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Importante, sobre a Contribuição:

Tanto a Casa quanto a dedicada Facilitadora das sessões que vos fala, quanto cada um de vocês, precisam de recursos financeiros.

Trabalhos gratuitos são oferecidos pela Internet e ao vivo, com frequencia, por mim e outros OMers, Trainers, Advanced Trainers, Facilitadores de Câmaras, etc. Mas quando não são gratuitos, significa que é a hora de nos abastercermos financeiramente. Porque precisamos sobreviver como qualquer um de vocês...

A contribuição é sugerida, mas ela não sugere que os participantes não contribuam com nada ou com bem menos do que o sugerido. E é claro que se não pode colaborar, você pode e deve participar. Mas que isso não se torne um hábito, porque algo se destrói nessa postura : o seu receber se fecha...

Pensem direitinho se estão deixando de colaborar porque realmente lhes falta, ou porque querem se sentir seguros, ou porque não valorizam de fato o que estão recebendo. Ao não pagar, ou ao dar pouco, vocês mesmos regulam o seu receber. e se fecham para receber o que está sendo dado.

É assim que funciona no Plano Terrestre, que se chama Karma Bhoomi, o Plano da Ação e da Reação.

Encerro essa mensagem com um trecho do Curso Despertar da Unidade ajuda a esclarecer também essa questão:

"Torne-se consciente do que você não tem dado [...] Se o que você deu foi pouco, torne-se consciente do quanto isso lhe deixou mais pobre - porque você se torna pobre não por aquilo que você não tem, você se torna mais pobre por aquilo que você não dá."

Me desculpem os que sentem a orelha arder com o puxão. É um ato de carinhoso 'despertar' da responsabilidade de cada um.

Um abraço carinhoso e até amanhã!
Narayani

2 comentários:

Anônimo disse...

Narayani, admiro e respeito muito esse trabalho do 'despertar espiritual' que tanto auxiliam ao próximo. Mas vale-se lembrar do ensinamento que Jesus nos deixou:

“DE GRAÇA recebestes, de graça dai.” (Mateus 10:8) Jesus deu essa instrução aos seus apóstolos quando os enviou para pregarem as boas novas. Os apóstolos obedeceram a essa ordem? Obedeceram, sim, e continuaram a fazer isso mesmo depois de Jesus ter partido da Terra.

Por exemplo, quando o ex-feiticeiro Simão viu os poderes milagrosos dos apóstolos Pedro e João, ofereceu-lhes dinheiro para que lhe dessem esse poder. Mas Pedro repreendeu Simão, dizendo: “Pereça contigo a tua prata, porque pensaste obter posse da dádiva gratuita de Deus por meio de dinheiro.” — Atos 8:18-20.

O apóstolo Paulo mostrou ter um espírito similar ao de Pedro. No entanto, ele trabalhou com as próprias mãos para se sustentar. Não fez da espiritualidade uma profissão ao qual tirasse seu sustento.

Vamos lembrar de Madre Tereza, Chico Xavier entre outros que tinham sua missão em ajudar ao próximo sem cobrar nada, viviam na matéria em condições simples, dependiam de doações mas eram tão grandes por dentro em sua elevação moral, espiritual.

Portanto dizer que nos trabalhos realizados em sessões de deeksha ou qualquer outra ação caso a pessoa não contribua o seu receber se fecha. Me desculpe, mas discordo completamente deste posicionamento.

E pagar aproximadamente 2.500 dólares para um curso na Oneness na Índia para obter um despertar da unidade, espiritual seja lá os termos que usam, você acha que Jesus fundaria uma universidade e cobraria por isso?

Vamos pensar um pouco mais sobre isso, volto a reforçar.

DE GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DAI

Narayani disse...

Eu não sou Jesus, não sou Chico Xavier nem Madre Tereza e nem nenhum apóstolo. Sou Patricia Couto Narayani e não tenho nenhuma pretenção de agradar a todos e de ser qualquer santa. Essa pessoa aqui precisa de dinheiro para viver, como todo mundo. Espiritualidade a abundância caminham e muito juntas, seu entendimento está muito equivocado. E os valores cobrados são pelo trabalho que dá trabalhar e conceder coisa boa para as pessoas. Mas dinheiro algum jamais vai cobrir os anos de esforço e dedicação e energia de vida dispensados para o crescimento - mais um ponto onde seu entendimento não só é equivocado como superficial. Páre de julgar as pessoas. E será você mesmo mais livre, quem sabe até, para ser próspero e feliz! Se quiser coisas gratuitas, procure centros espíritas que o país está cheio e não há nada de errado. Mas vai lá perguntar na administração como é a mágica que mantém os prédios e a organização toda de pé? Como eles pagam a conta de luz? Isso se vc quiser confrontar seus julgamentos e o entendimento de quem você acha que é e do que considera certo ou errado. Se quiser crescer, procure não julgar as pessoas e comece a investigar em si e na vida das pessoas onde os seus julgamentos pode estar bem equivocados. Espero não receber criticas assim no meu blog, sem antes ter o benefício de ser questionada. Por favor se permita ser feliz, deixando todos ao seu redor viverem como pensam que é correto. Sem julgar. Sem ditar o que é certo. Porque certo mesmo, certo certinho assim, não há. Namaste!